João Calvino sobre o governo feminino

 

“Se porventura alguém desafiar esta disposição, citando o caso de Débora e de outras mulheres sobre quem lemos que Deus, em determinado tempo, as designou para governar o povo, a resposta óbvia é que os atos extraordinários de Deus não anulam as regras ordinárias, às quais ele quer que nos sujeitemos.” As Pastorais, São Paulo, Paracletos, 1998, (1Tm 2.11-12), pp. 73-74.

 

“Aquele que está acima da lei pode proceder assim; sendo, porém, um caso extraordinário, não se conflita com a norma constante e costumeira.” As Pastorais, São Paulo, Paracletos, 1998, (1Tm 2.11-12), pp. 73-74.

 

“… não há absurdo algum no fato de um homem mandar e ser mandado ao mesmo tempo em relações distintas. Mas isso não se aplica no caso das mulheres que, por natureza (isto é, pela lei ordinária de Deus), nascem para a obediência, porquanto todos os homens sábios sempre rejeitaram [gunaikokratia], a saber, o governo feminino, como sendo uma antinatural monstruosidade.” As Pastorais, São Paulo, Paracletos, 1998 (1Tm 2.11,12), pp. 73-74.

 

“Considere ainda agora, se as mulheres não perdem o juízo e a razão quando elas querem governar sobre os homens. Em uma palavra, é loucura. Sendo assim, os homens são feitos para as mulheres?” Men, Women, and Order in the Church: Three Sermons by John Calvin. Dallas: Presbyterian Heritage Publications, 1992, p. 35.

 

“É verdade que hoje os homens são como que canais através dos quais Deus faz com que sua graça flua para as mulheres. Sendo assim, de onde toda a produção e todas as artes e ciências provêm? De onde o trabalho vem? De onde todas as coisas mais excelentes e mais estimadas vêm? Tenha por certo, isso tudo vem do lado do homem. Assim Deus está satisfeito de que os homens supram as mulheres como a experiência o mostra.” Men, Women, and Order in the Church: Three Sermons by John Calvin. Dallas: Presbyterian Heritage Publications, 1992, p. 35.

 

“Desde que Deus estava pensando no homem, certamente se segue que a mulher é apenas uma ajudadora [accessory]. E por quê? Porque ela foi criada somente por causa do homem, e ela deve, portanto, dirigir toda a sua vida a ele.” Men, Women, and Order in the Church: Three Sermons by John Calvin. Dallas: Presbyterian Heritage Publications, 1992, p. 35.

 

“Ela deve confessar: ‘Eu não deveria estar sem orientação aqui, sem saber o meu propósito e lugar. Em vez disso, eu sou obrigada por Deus, se eu estiver casada, a servir ao meu marido e render a ele honra e reverência. E, se eu não estiver casada, eu estou obrigada a andar em sobriedade e modéstia, reconhecendo que os homens estão em alta conta, e de que eles devem governar e que a mulher que não se preocupar com isto esquece a lei da natureza e perverte o que deveria ser observado como mandamento de Deus.’ Isto é, então, o lugar ao qual o apóstolo Paulo traz de volta as mulheres.” Men, Women, and Order in the Church: Three Sermons by John Calvin. Dallas: Presbyterian Heritage Publications, 1992, p. 35.

 

“E não há dúvida de que onde quer que o próprio decoro natural tem tido seus efeitos, as mulheres de todas as épocas têm sido excluídas do controle dos negócios públicos. E o senso comum nos ensina que o governo das mulheres é impróprio e defectivo.” Comentário à Sagrada Escritura: Exposição de 1 Coríntios. São Paulo: Edições Paracletos, 1996, p. 438.

Comments