Cuidado! Para um pastor que está se entregando à pornografia

Por Andy Naselli

 

 

Pastor, você está regularmente se entregando à pornografia e racionalizando consigo: por que apesar de fazer isso, as coisas estão indo tudo bem?[1] Se você se entrega à pornografia sem remorso, então você pode ter o que Paulo chama de consciência cauterizada (1Tm 4.2).

A sua consciência é sua percepção do que você acredita ser certo ou errado, e se você tem uma consciência cauterizada sobre se entregar à pornografia, então sua consciência é tão insensível que (1) ela não o avisa mais para não se entregar à pornografia e (2) ele não acusa nem o condena (e assim faria com que você se sentisse culpado) depois de se entregar à pornografia.[2]

Se isso descreve você, então você está em perigo. Aqui estão oito motivações para se arrepender.

 

  1. Entregando-se à pornografia você será condenado ao inferno

Pessoas que habitualmente e sem arrependimento se entregam à pornografia irão para o inferno (Mt 5.27-30). Uma evidência de que você tem fé genuína em Jesus é que você está lutando contra a luxúria. Ceder à pornografia é uma forma de imoralidade sexual. E a imoralidade sexual não herdará o reino de Deus (1Co 6.9-11). A ira de Deus é contra a imoralidade sexual (Ef 5.3–6). Sim, os cristãos pecam. Mas os cristãos são pecadores se arrependendo.

Se você está se entregando à pornografia, então você não é puro de coração. E somente os puros de coração verão a Deus (Mt 5.8). Estou tentando alarmar você – ou mais precisamente, para aterrorizá-lo do inferno. O que for preciso para você vencer a batalha pela luxúria, vale a pena, porque entregar-se à pornografia mandará você para o inferno.

 

  1. Entregar-se à pornografia não glorifica a Deus com o seu corpo

“Glorifique Deus em seu corpo”. É assim que Paulo conclui uma seção sobre imoralidade sexual (1Co 6.12-20). Deus ordena que você o glorifique com seu corpo não cometendo imoralidade sexual.

Glorificar Deus é uma maneira de sentir, pensar e agir de acordo com Deus. Isso mostra que Deus é supremamente grande e bom. Isso demonstra que Deus é todo-sábio e todo-satisfatório. Você glorifica a Deus com o seu corpo físico quando o usa da maneira que Deus quer. Quando você se entrega à pornografia, você peca contra o próprio Deus, porque Deus é dono do seu corpo. Ceder à pornografia não glorifica a Deus com o seu corpo.

 

  1. Entregar-se à pornografia é um prazer venenoso e passageiro

Moisés escolheu “não desfrutar dos prazeres transitórios do pecado” (Hb 11.24–26). Isso significa que o pecado pode ser prazeroso – pelo menos por um tempo. Mas esse prazer é passageiro.

Ceder à pornografia é imediatamente prazeroso, mas esse prazer é passageiro. Deixa você se sentir vazio, insatisfeito, ansiando por mais. É como comer uma pílula envenenada com açúcar. “Aquele que comete adultério é insensato; pois destrói a si mesmo” (Pv 6.32).

Não deseje pornografia, deseje a Deus. Parafraseando John Piper, “nós glorificamos mais a Deus quando mais nos satisfazemos nele”. É para isso que Deus nos criou. Os prazeres da pornografia são venenosos e transitórios. Os prazeres de Deus são eternos e infinitamente satisfatórios.

 

  1. Entregar-se à pornografia desperdiça a sua vida

Quando você se entrega à pornografia, perde seu tempo e energia e, às vezes, dinheiro. Você aleijou a sua igreja porque é como Acã, amando enganado o seu pecado, em vez de abandoná-lo. Você age como aquele que o livro de Provérbios chama de tolo. “Olhe com cuidado, então, como você anda, não seja imprudente, mas sábio, fazendo o melhor uso do tempo, porque os dias são maus. Portanto, não seja insensato, mas entenda qual é a vontade do Senhor” (Ef 5.15–17).

 

  1. Entregando-se à Pornografia trai sua esposa e filhos

Isso se aplica a você se é casado, ou se será casado.

Quando você se entrega à pornografia, está sendo infiel à sua esposa. Você está traindo-a. Você está cometendo adultério contra ela. Você está fazendo-a competir com o banco de dados de imagens sensuais com as quais você se inflamou.

Quando você se entrega à pornografia, você prejudica os seus filhos. Você perderá a sua autoridade moral com sua família. Os seus filhos sofrerão. E se isso levar ao divórcio, seus filhos sofrerão ainda mais.

 

  1. Ceder à pornografia desqualifica-o de ser um presbítero

Se você está se entregando à pornografia, então você não atende a essas qualificações dos presbíteros: “Marido de uma só mulher [NVI: “fiel à sua esposa”], de mente sóbria, autocontrolado, respeitável” (1Tm 3.2). “Marido de uma só mulher [NVI: “fiel à sua esposa”] … amante do que é bom, tendo autocontrole, justo, santo e disciplinado” (Tt 1.6, 8).

Um pastor é um pastor. Um pastor conduz as ovelhas (Sl 23.1–3; 78.52). E o modo mais significativo que os pastores conduzem é “sendo exemplos para o rebanho” (1Pe 5.1–3).

 

  1. Entregando-se à pornografia você arruína sua mente e consciência

Entregando-se à pornografia, você estraga a sua maneira de pensar sobre sexo. O sexo é um dom de Deus que é exclusivamente entre um homem e uma mulher, e que fizeram um pacto no casamento. O sexo é uma ideia de Deus e devemos louvá-lo por isso. A pornografia corrompe e perverte o sexo. Se você se dedicar à pornografia, vai pensar em sexo perversamente.

Entregando-se à pornografia, estraga a maneira como você pensa sobre as mulheres. As mulheres são seres humanos que Deus criou à sua imagem e exibem, de um modo maravilhoso, a glória de Deus. Se você desejar os corpos das mulheres, então você pensará sobre as mulheres como objetos sexuais para satisfazer as suas concupiscências pecaminosas, e não como semelhantes da mesma imagem.

Entregando-se à pornografia, você estraga como raciocina. Ela destrói o cérebro de forma destrutiva. Isso arruína a maneira como você pensa e, assim, distorce as suas afeições.

Consequentemente, entregar-se à pornografia arruína a sua consciência. A sua consciência é a sua percepção do que você crê ser o certo e o errado. Quando você se entrega à pornografia, você insensibiliza a sua consciência, porque reprime e silencia a sua consciência e racionaliza o seu pecado. Eventualmente, você pode prejudicar tanto a sua consciência que ela não o condenará quando pecar.

 

  1. Entregando-se à pornografia você participa da escravidão sexual

A pornografia é para a escravidão sexual o que a gasolina é para o mecanismo dos veículos motorizados. Motores de combustíveis a gás. A pornografia alimenta a demanda por prostituição e, portanto, por escravidão sexual. Portanto, ceder à pornografia em qualquer grau é participar da escravidão sexual.[3]

 

CONCLUSÃO

Pastor, essas são oito motivações para que você se arrependa se estiver entregando-se à pornografia sem remorso. Volte-se para Cristo, a fonte da genuína liberdade e felicidade.[4]

Deixemos de lado as obras das trevas e vistamos a armadura da luz. Andemos corretamente como durante o dia, não em orgias e embriaguez, não em imoralidade sexual e sensualidade, não em brigas e ciúmes. Mas revista-se no Senhor Jesus Cristo, e não alimente a carne, nem satisfaça os seus desejos (Rm 12.12–14)

 

NOTAS:

[1] Por se entregar à pornografia, refiro-me a desfrutar pecaminosamente do prazer do material impresso ou visual que explicitamente descreve ou exibe partes do corpo sexual ou atividade, a fim de estimular sentimentos eróticos.

[2] Cf. Andrew David Naselli e J. D. Crowley, Conscience: What It Is, How to Train It, and Loving Those Who Differ (Wheaton, IL: Crossway, 2016).

[3] Para um argumento mais detalhado, veja Andrew David Naselli, “When You Indulge in Pornography, You Participate in Sex Slavery,” Journal for Biblical Manhood and Womanhood 20:2 (2015): 23–29.

[4] Sobre o verdadeiro arrependimento, veja Heath Lambert, Finally Free: Fighting for Purity with the Power of Grace (Grand Rapids: Zondervan, 2013), pp. 23–28, em que Lambert desdobra nos capítulos 2–6 (pp. 31–105).

 

OBSERVAÇÃO DO AUTOR: este artigo condensa e atualiza o texto de Andrew David Naselli, “Seven Reasons You Should Not Indulge in Pornography,” Themelios 41 (2016): 473–83.

 

Andy Naselli é professor associado de Novo Testamento e Teologia no Bethlehem College & Seminary em Minneapolis e um presbítero da Bethlehem Baptist Church.

 

Traduzido por Ewerton B. Tokashiki

Comments