pr.-alexandre-lessa1

Rev. Alexandre Ribeiro Lessa – Pastor auxiliar na IP Vitória da Conquista – Bahia, doutorando pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

“Estudar no JMC… é amadurecer como homem; é tomar aquela bronca do Rev. João Alves por não ter feito a lição de grego; é fazer amizades verdadeiras e duradouras; é ser apresentado ao vasto e rico universo da teologia reformada; é fazer redação sobre “civilizações hidráulicas” no primeiro dia de aula do Rev. Wilson; é aprender diariamente a amar a Bíblia e zelar pela sua genuína exposição; é andar lado a lado com gigantes da fé; é lembrar do Rev. Piva ensinando no Piel sobre as mater lectionis; é ser pastoreado e ensinado por verdadeiros pastores mestres; é aprender, mesmo que “na Marra”, o que é uma ideia homilética; é progredir no conhecimento da verdade; é sempre ter uma segunda casa; é lembrar da “Rosa” e dos estímulos doces e pastorais do saudoso Rev. Daniel Manoel; é ter apoio e cuidado pastoral constante, “de modo que”, Rev. Onezio sempre está presente; é contar com a melhor estrutura; é aprender com um excelente corpo docente; é conviver com pessoas maravilhosas como Rose e Regis; é saber que nada sabe; é procurar conciliar ortodoxia com ortopráxis; é saber conciliar razão e fé; é aprender algo extremamente rico com uma brincadeira feita em sala de aula pelo Rev. Hermisten, que só dois ou três alunos, exatamente os que ele queria, entenderam em sua inteireza; é valorizar os Símbolos de Fé de Westminster e ser confessional; é ver a pilha 250 de livros que o Rev. Ageu apresenta no primeiro dia de aula de Teologia Sistemática; é conhecer e amar a teologia calvinista; é receber uma vara de pescar; é olhar para o Rev. Dario e toda vez se impressionar com o zelo e piedade em sua vida cristã; é estar vacinado contra o liberalismo e o secularismo; é ser simples com profundidade; é ser alegre com seriedade; é ter o caráter trabalhado para ser um obreiro aprovado; é dedicar a mente para o estudo e o coração para Deus; é aprender que toda teologia é prática; é sofrer com as lutas e dissabores dos colegas e se alegrar com suas vitórias; é se formar e querer voltar para ficar mais um pouco…”