Capturar

Rev. Fôlton Nogueira – Pastor em Minas Gerais

“No segundo semestre de 1979, meu pastor, Rev. Denoel Nicodemus Eller, estava empenhado em me convencer a ir para o Seminário. Eu relutava, pois já tinha uma filha de 2 anos e minha esposa estava esperando outra. Em uma viagem os argumentos dele foram mais fortes e eu acedi. Já tinha ensaiado o pedido de demissão de onde trabalhava, quando ele me disse para não fazê-lo, pois haveria novidades. De fato: o Conselho Deliberativo do Seminário Presbiteriano do Sul reuniu-se e, como membro, ele participou da decisão que criou a extensão em São Paulo. Na primeira segunda-feira da segunda quinzena de fevereiro de 1980, a extensão do JMC foi instalada em Reunião no Auditório Benedito Novaes Garcez do Instituto Mackenzie. Pregou o Pb. Paulo Breda, tendo como texto básico Isaías 6, em que destacou os lábios do profeta como a “residência de seu pecado” e exortou que a nova casa de profetas formasse aqueles em cujos lábios a Palavra de Deus fosse íntegra. Nossas aulas aconteciam em um sobrado na Rua Piauí à noite (até às 23h e nos sábados à tarde) e nosso primeiro diretor foi o Rev. Ludgero Machado Moraes. Em 1981 nos mudamos para uma casa no Campo Belo. Em 1982 nos mudamos para uma casa à Rua Zacarias de Góes enquanto o atual prédio era construído, o qual ocupamos no início de 1984. A formatura de nossa turma – 4 de 37 alunos iniciais – aconteceu no meio do ano de 1984 (adiantamos um semestre com as aulas de sábado no primeiro ano), na Igreja da Lapa. De tudo ficou a lembrança do rigor e seriedade impressos no nascedouro do Seminário. Das dificuldades enfrentadas e das fantásticas descobertas das verdades da Graça.”