Clipboard01

Rev. João Petreceli – Pastor em Queenstown – Nova Zelândia

“Quando fui aprovado pelo presbitério para ser enviado a um dos seminários da IPB, recebi o conselho de um pastor para estudar no Seminário Presbiteriano JMC, e decidi aceitar aquele conselho. Tenho a convicção de ter recebido o melhor conselho e de ter feito a decisão correta. Em janeiro 1992 fui aprovado no teste seletivo e em fevereiro começava uma jornada intensa de crescimento acadêmico, pastoral e piedoso. Comecei estudando no curso noturno, que era de seis anos de duração. O curso diurno somente começaria em fevereiro de 1993 e naquele ano me transferi ao diurno com duração de cinco anos. Naquela época, o JMC que já possuía um excelente quadro de professores, melhorou ainda mais esta qualidade com a chegada de alguns doutores que haviam se qualificado no exterior. Posso afirmar seguramente que tive excelentes professores que ajudaram muito na minha formação acadêmica, pastoral e piedosa à luz das Escrituras Sagradas e da teologia reformada. Neste tempo forjaram-se não somente estes valores imprescindíveis na vida ministerial, mas também amizades sólidas que perduram até hoje com professores, colegas de estudo e com o quadro de funcionários daquela época. O sentimento que havia naquele tempo era de uma grande família que orava uns pelos outros, se amava e se respeitava. Isso podia ser visto pelo tratamento amável entre todos, e principalmente da parte dos alunos veteranos que tratavam os novos alunos com muito amor e respeito. O repugnante “trote”, tão comum na vida de outras escolas de teologia, nunca aconteceu no JMC enquanto ali estudei, e pelo que sei continua não acontecendo. A formação que recebi no JMC moldou a minha vida e me preparou como homem, marido, pai, ministro do Evangelho (no Brasil e no exterior) e professor de teologia (No Brasil e no Exterior). Louvo a Deus pela existência desta tão digna academia e oro para que Deus a continue sustentando nestes trilhos.”